Almoço astrológico

meu mapa natal e as entradas

meu mapa natal e as entradas

Hoje meu astrólogo veio em casa almoçar e fazer o meu mapa astrológico. Estou fazendo o meu mapa natal (mapa astrológico do momento do nascimento da pessoa) que dura várias sessões. É assim, como o mapa natal é uma coisa complexa, o Fernando destrincha isso em 12 ou mais sessões, começanco com a sessão do signo solar, que é o seu signo propriamente, por exemplo o meu é aquário. Depois na próxima sessão ele faz a análise do signo lunar, que no meu caso é cancer. Hoje foi a minha terceira sessão e falamos sobre o meu ascendente, que é leão. Nas próximas ele vai analisando as casas e outros aspectos importantes do mapa. É ótimo porque não só dá pra entender muito bem cada aspecto de seu mapa mas também dá pra entender o que significa cada casa, cada planeta, o que é uma conjunção, uma quadratura, essas linguagens todas de astrólogo que numa sessão corrida de mapa vc acaba não entendendo nada e tem que engolir a interpretação daquele astrólogo que nem sempre você concordaria se soubesse o significado dos aspectos. Então é quase uma mini aula de astrologia e uma análise do seu mapa ao mesmo tempo. Dá pra aprender bastante coisa. Fora que eu e o Fê temos visões de mundo muito compatíveis então facilita muito.

Enfim, mas deixando o mapa de lado, vou falar do almoço que preparei pra esse momento.

Entrada: tomates assados com ervas, ricotta com damasco, ricotta com ervas, pão de figo

Prato principal: garganelli com ragù de pato

Sobremesa: crème caramel

O tomate assado é a coisa mais fácil do mundo e é uma ótima entrada, mas precisa preparar logo de manhã, porque vc vai deixar no forno por umas 2 ou 3 horas. O importante também é escolher tomates maduros, bem vermelhos, mas ainda firmes. De preferência orgânicos, porque o tomate absorve muito o agrotóxico, acho que por causa de sua pele fina. Corte-os em 2 em sentido longitudinal e coloque as metades numa travessa com o lado do corte voltado para cima. Pique um punhado de salsinha italiana, 4 ou 5 folhas de sálvia, uma boa quantidade de tomilho (tirar as folhas dos galhos mais duros e grossos) e 2 dentes de alho e misture com azeite numa tigela. Na verdade pode ser com qualquer erva, serve alecrim também, o que vc tiver no jardim ou na geladeira! Tempere com sal e pimenta-do-reino. Passe essa pasta em cima dos tomates e coloque-os no forno a 160ºC e asse durante 2 ou 3 horas. Abaixe a temperatura se começar a queimar nas bordas. Os tomates precisam ficar bem desidratados e quase caramelizados.

tomates com ervas ao forno

antes

depois

depois

As ricottas também são mega fáceis. A de ervas é só misturar ervas, também qualquer mistura de ervas que vc gostar, sal e um pouco de azeite na ricotta. A de damasco, vc desidrata damascos secos na água de rosas ou de flor de laranjeira (copiei isso da minha amiga Andrea) durante algumas horas até eles ficarem bem macios, como a fruta fresca mesmo. Fica muito bom, dá pra usar isso em várias coisas, ou até comê-los assim, puros. Você pica esses damascos e mistura na ricotta com sal e um fio de azeite também.

O ragù é uma outra história. Eu fiz ontem a noite porque assim não preciso correr e o sabor se intensifica quando ele descansa por uma noite. Primeiro você tira a pele da coxa e sobrecoxa do pato. É um pedaço de coxa e sobrecoxa por pessoa. Corte os pedaços na junta, tire o máximo da gordura que puder, esfregue com sal e pimenta-do-reino e doure numa panela com azeite em fogo alto dos dois lados. O fogo alto é importante para “selar” a carne para que dela não saia muito líquido e sabor.

selando o pato

selando o pato

Retire da panela e coloque 1 cebola picada, 1 talo de salsão picado, 2 dentes de alho picados, 1 cenoura pequena ralada na mesma panela sem lavar. Assim o sabor do pato se transfere para os legumes. Lembra do soffritto? Aqui é a mesma coisa. A base de toda comida caseira italiana. Tem que deixar murchar esses legumes até ficarem bem reduzidos e bem macios, pode demorar uns 10 a 12 minutos, mas a paciência é importante aqui. Também é fundamental não deixar queimar esses legumes e para isso tem que ficar mexendo o tempo inteiro. Mas é disso que vai depender o sabor do seu prato final. Aqui eu cortei os legumes um pouco maiores do que o soffritto habitual pra sobrar alguma coisa no final do longo cozimento do ragù.

Acrescente 1 xícara de um bom vinho tinto. Não sou muito a favor de usar na cozinha um vinho que eu não beberia, porque dele também depende o sabor do meu prato final. Afinal, se você usa um vinho ruim, o seu prato não vai ficar tão bom quanto se usar um vinho bom. Não precisa ser necessariamente caro, mas bebível. Nesse caso eu usei um Côte du Rhone biodinâmico chamado Samorëns produzido por Ferraton, muito bom aliás, que já estava aberto e aproveitei.

Samorens

Samorëns

Deixe ferver e raspe com a colher de pau ou de silicone o fundo da panela para desgrudar o caramelizado do soffritto. O que gruda na panela é sabor, a não ser que esteja queimado, então tem que incorporar.

sofritto + vinho

soffritto + vinho

Adicione 1 xícara de caldo de galinha (por favor, não usa aqueles cubinhos, tá? tenta fazer você mesmo, é muito fácil, posso fazer um post sobre isso um dia…), 1 tomate picado sem a pele (ou um tomate pelado em lata) 4 folhas de sálvia e as coxas e sobrecoxas de pato. Abaixe o fogo para o mínimo, tampe e espere 1 hora.

tá quase no fim

tá quase...

só esperar

esperarando...

Retire o pato da panela e deixe esfriar um pouco. Retire toda a carne dos ossos, desfie e devolva-a para a panela. Cozinhe por mais 30 minutos em fogo brando até engrossar e acerte o sal. E está pronto o ragù.

ragú de pato

ragù de pato

O ragù dá pra fazer na véspera, mas a massa não. Tem que fazer na hora. Eu usei o garganelli, que é uma espécie de penne só que um pouco diferente.

garganelli

garganelli

Cozinhe a massa normalmente só com água e sal (sem fio de azeite na água pra não deixar a massa escorregadia, o molho não gruda na massa quando fica assim), escorra e coloque na panela do ragù e misture. Acrescente um pouco da água do cozimento da massa para acertar a humidade e sirva com parmesão ralado.

garganelli com ragù de pato

garganelli com ragù de pato

Ficou muito bom. Acho que o Fê também gostou. O vinho escolhido foi o Quinta de Foz de Arouce 2003 da região portuguesa de Beiras feito com as uvas Baga, Touriga Nacional e Tinta Roriz. Muito bom e tem uma boa acidez que equilibra um prato como este. E agora me deu um sono absurdo então vou deixar pra postar o crème caramel amanhã. Boa noite!

3 Respostas para “Almoço astrológico

  1. queria ser seu astrólogo pra poder almoçar essas maravilhas
    bjs

  2. ah, bi, vc não precisa ser meu astrólogo, basta ser o que vc é! amigos também têm direito às minhas comidas🙂

  3. geeeeente amei essa receitinha!!!! que tudo sachi!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s